Products, help and information

Nuvens

Map of cloud cover density - Switzerland

Map of cloud cover density - Switzerland

Presentation of cloud cover in meteograms

meteoblue mostra a cobertura de nuvens (nebulosidade) em 56 camadas da atmosfera.

A nebulosidade é expressa em % sobre a cobertura máxima da nuvem. A nebulosidade é frequentemente agrupada em classes de 0-25%, 25-50% etc..

Zero por cento significa que não há nenhuma nuvem visível no céu. Cinquenta por cento é equivalente à cobertura de nuvens de metade do céu. Cem por cento de cobertura de nuvens significa que céu limpo não é visível. Se a cobertura de nuvens em várias camadas é de cinquenta por cento, apenas uma baixa percentagem do céu será visível.

As percentagens são calculadas como parte integrante do período de previsão anterior. Variações durante esse período são feitas em média.

A previsão de nuvens em meteoblue pode ser formada em camadas agregadas (baixa/média/alta) ou em camadas selecionadas para um fim específico.

Camadas de nuvens agregadas são definidas de acordo com a WMO como:

  • nuvens baixas: 0-2 km (0-2 km no equador)
  • nuvens médias: 2-7 km (2-8 km no equador)
  • nuvens altas: 5-13 km (6-18 km no equador)

Em condições tropicais, a altitude da nuvem pode alcançar 1-3 km a mais do que o indicado. A partir da altitude, densidade e sequência das nuvens, podemos interpretar o tipo de tempo esperado (ver em baixo). Uma frente fria típica começa com nuvens baixas, que se acumulam ao longo do tempo. Tempo de trovoada é caracterizado por manhãs sem nuvens e desenvolvimento rápido de nuvens durante o dia, com nuvens densas e altas na parte da tarde, que podem desaparecer novamente durante a noite.

A previsão da nebulosidade em meteoblue é usada ​​para fins variados, incluindo lazer, astronomia, energia solar ou planeamento de voos.

Exemplos de previsões de nebulosidade são mostrados em meteogramas, Pictocast, spot e mapas de nuvens. Serviços especiais para a previsão de nuvens, incluindo a previsão de nevoeiro local, podem ser fornecidos a seu pedido.

Quantificação da nebulosidade

A nebulosidade é expressa em percentagem (se não for indicado de outra forma), de 0 a 100%: 100% significa que céu limpo não é visível. A nebulosidade pode ser expressa em percentagem para cada nível. A nebulosidade total não corresponde à soma da cobertura de nuvens % em diferentes camadas. Exemplos:

  • uma nebulosidade baixa, média e alta de 50% cada uma, pode atingir os 100% de nebulosidade, mas não os 150%.
  • uma nebulosidade média e baixa de 0% e 100% de elevada altitude, pode resultar numa nebulosidade de 100%. No entanto, esta pode deixar passar (filtrar) mais sol do que uma nebulosidade de 80% a uma altitude baixa, porque as nuvens altas são mais translúcidas do que as baixas.
  • uma nebulosidade média de 50% e baixa de 50% pode dar uma nebulosidade total de 60%​​, porque em parte ainda se pode ver céu azul.

O cálculo total da nebulosidade depende dos tipos de nuvens presentes, e não pode ser derivado da cobertura de nuvens de camadas individuais. Para obter mais precisão sobre o efeito da nebulosidade, veja o parâmetro da radiação solar.

Medição da nebulosidade

A medição da nebulosidade é muito difícil na prática. Os sensores mais frequentemente utilizados são câmaras do satélite, que fornecem uma visão geral da nebulosidade, mas não podem distinguir bem entre nuvens baixas, médias e altas. Sensores terrestres podem determinar a nebulosidade e altitude, até certo ponto, mas apenas para uma área limitada. A observação visual é (ainda) muito frequente para a determinação da nebulosidade, utilizando uma escala de 0/8 (sem nuvens) para 8/8 (cobertura total do céu); estas observações são utilizados para os relatórios METAR.

Importância da nebulosidade

A cobertura de nuvens tem um efeito significativo sobre a previsão da temperatura. A quantidade de energia solar que atinge a superfície é uma forte condicionante da temperatura da superfície.
A troposfera é aquecida através da radiação solar que atinge a superfície da Terra. Flutuações nesta energia solar alteram a temperatura da superfície, onde a maioria das medições de temperatura são feitas. As nuvens funcionam como um regulador da quantidade de radiação solar que atinge a superfície.
Durante o dia, as nuvens reduzem a temperatura, em função da sua espessura, densidade e tempo de permanência da nuvem. Se a nebulosidade permanece mais tempo do que o esperado durante o dia, a temperatura da superfície será em geral mais fria do que a esperada. Se houver menos nebulosidade do que o esperado, a temperatura da superfície será em geral mais quente do que a esperada. Um exemplo é, quando o nevoeiro ou nuvens baixas ocorrem, especialmente durante a estação fria. A neblina ou nuvens baixas são difíceis de prever, porque são muitas vezes formadas apenas localmente. Se a névoa não é dissipada como esperada, a temperatura da superfície altera-se significativamente.

Durante a noite, as nuvens têm o efeito oposto na temperatura. Mais nebulosidade do que a esperada durante a noite geralmente, corresponde a temperaturas mais altas do que as que se esperam. Menos nebulosidade corresponde a temperaturas mais baixas do que as que se esperam. A razão é que, durante a noite, a superfície da terra emite energia em forma de radiação de onda longa e não recebe qualquer radiação de onda curta emitida pelo sol para aquecer a superfície. O vapor de água interceta a radiação de onda longa, irradia-lo de volta para o solo e evita que ele escape para o espaço. Isto resulta em temperaturas mais quentes. Numa noite clara, a quantidade máxima de radiação de onda longa irá expandir para o espaço (sem obstrução) e, portanto, a temperatura da superfície irá arrefecer à taxa máxima para as condições meteorológicas fornecidas.

As nuvens também são portadoras de precipitação. Ao influenciar a temperatura, diferentes processos de nuvens têm um efeito complexo no ponto de condensação. Geralmente, as temperaturas mais baixas da nuvem irão aumentar a probabilidade de precipitação. No entanto, trovoadas só ocorrem quando o ar quente e húmido sobe acima do nível de condensação e, portanto, atua como fornecedor de energia. Se a nebulosidade determina um maior arrefecimento do que o esperado na camada limite, pode evitar assim, a rutura da camada de inversão que supera a camada convectiva abaixo numa situação de tempestade. Se a capa (parte superior) não se quebra, na maioria dos casos, não irá ocorrer precipitação de tempestade. Por outro lado, uma redução da nebulosidade pode aumentar instabilidade durante o dia e aumentar a ameaça de um temporal.

Em suma, a capacidade de prever o desenvolvimento e movimento das nuvens é fundamental para o cálculo de uma previsão meteorológica confiável.