Products, help and information

Precipitação

A precipitação é a deposição de água para a superfície da Terra, sob a forma de chuva, neve, gelo ou granizo.
Todos os valores de precipitação são expressos em milímetros (mm) de água líquida equivalente para o intervalo de tempo precedente (ou em polegadas). Um milímetro de chuva corresponde a 1 litro por metro quadrado de água sobre a superfície, ou cerca de 10 milímetros de neve.
Apresentamos a nossa melhor previsão de precipitação de alta resolução nos meteogramas point, pictocast, rainSPOT e nos mapas.
Outras apresentações e escalas podem ser fornecidas a pedido.

Tipos

meteoblue prevê os tipos de precipitação sob a forma de:

  • chuva (líquida),
  • neve (cristais),
  • gelo (água congelada), chuva gelada,
  • orvalho (condensação em superfícies), para serviços Agro.

Outros tipos de precipitação, como o granizo (gelo sólido) podem ser calculados para serviços especiais.

Precipitação convectiva e estratiforme

Precipitação apresenta-se em 3 formas:

  • Precipitação convectiva cai em forma de chuvas/chuviscos com rápida mudança de intensidade, e numa determinada área por um período de tempo relativamente curto, pois as nuvens convectivas limitam a extensão horizontal.
  • Precipitação orográfica cai quando massas de ar empurradas pelo vento são forçadas até ao lado de formações de terra elevadas, como grandes montanhas.
  • Precipitação estratiforme causada por sistemas frontais (principalmente de ar frio), que geralmente trazem chuva distribuída de maneira uniforme sobre uma área maior.

meteoblue mostra valores de precipitação como um total. Nos meteogramas a precipitação é dividida em convectiva (incluindo convectiva e orográfica) em azul claro (chuviscos) e total (por adição de precipitação estratiforme) em azul escuro. Precipitação convectiva é provável que seja mais irregular, e mais desigualmente distribuída do que a precipitação estratiforme, por isso as quantidades reais, distribuição espacial e probabilidades tendem a variar muito mais em comparação com os valores médios de apresentação do que para a precipitação estratiforme.

Queda de neve é mostrada com "***" e chuva gelada com "!". Granizo é apresentado apenas para serviços especiais. Se a precipitação cai como neve, a altura da cobertura de neve pode ser indicada separadamente - caso contrário, basta multiplicar a quantidade de água pelo fator 10 para obter a cobertura de neve fresca.

Se as temperaturas forem superiores a 3°C, a precipitação será normalmente pluviométrica. Este limite de 3°C é uma indicação. Para que haja queda de neve, a atmosfera deve estar abaixo de zero graus no intervalo de 0,5-5 km acima do solo. As temperaturas ao nível do solo são quase sempre mais elevadas do que acima, e as vezes acima de 0°C, quando os flocos de neve caem. Se as temperaturas forem demasiado altas, então os flocos de neve derreterão antes de chegarem ao solo.

Em alguns casos (por exemplo, frentes quentes), o ar quente e húmido pode transbordar sobre o ar frio. A precipitação é então originalmente chuva, que se transforma em neve no caminho para o solo, quando atinge a camada de ar frio. Nos mesmos casos (com uma camada de ar muito frio acima do solo), a precipitação pode congelar, causando "chuva gelada", que é feita inteiramente de gotículas líquidas. As gotas de chuva são super-refrigeradas ao passar por uma camada de ar sub-congelante acima do solo com algumas centenas de metros de espessura, e depois congelam, quando atingem qualquer superfície, incluindo o solo, árvores, fios eléctricos, aviões e automóveis. O gelo resultante chama-se gelo glaceado (ou "Blitzeis"), e pode acumular-se a uma espessura de vários centímetros. O código METAR para congelar a chuva é FZRA.

Quantidade de precipitação

A precipitação é medida em quantidade para um determinado intervalo de tempo, por exemplo, milímetros por hora. A medição é sempre válida para o período anterior ao tempo determinado. Por exemplo, a precipitação de 3 horas apresentada para as 12:00 UTC mostra a quantidade total em mm (= l/m²) entre as 9:00 UTC e as 12:00 UTC.

A medição da precipitação corresponde a uma tentativa de um processo não-uniforme em grande escala através de métodos de amostragem (estações meteorológicas), digitalização de imagens (radar ou satélite) em grande escala ou modelagem. meteoblue compara as previsões de precipitação com as medições baseadas em padrões da WMO, salvo indicação contrária.

As previsões são válidas para uma área de uma célula do modelo, por exemplo 10x10 km. Uma quantidade de 10 mm, portanto, pode ser:
= 10 mm distribuídos uniformemente em todos 10x10 km, ou
= 20 mm em 50% da área de 10x10 km, ou
= 100 mm em 10% da área de 10x10 km, ou
= 20 mm, de um lado e 0 mm no outro lado dos 10x10, ou
= Qualquer outra combinação somando uma quantidade de 10 mm nos 10x10 km.
Para climas tropicais, as precipitações podem ser muito locais, e isso tornará mais difícil de interpretar (e calcular) as previsões e medir os valores reais, porque a quantidade de precipitação pode variar em mais de 10 mm numa distancia de 500 metros.

Métodos e unidades

A precipitação pode ser medida através de 3 métodos:

  1. Estações meteorológicas locais: com pluviómetro
  2. Sensoriamento remoto: usando radar, a distribuição da precipitação na atmosfera pode ser calculada.
  3. Observações indiretas locais: usando recipientes, valas de infiltração, medidas de escoamento ou inundação.

As unidades de medida são em milímetros, centímetros ou polegadas; 1 milímetro corresponde a 1 litro de água por metro quadrado.
Precipitação-neve é medida em centímetros ou polegadas.
meteoblue usa unidades métricas para a apresentação da precipitação; Precipitação líquida é apresentada em mm para o período de tempo apresentado (dia e hora). A precipitação em forma sólida (neve) é apresentada em milímetros equivalentes à água (WE), ou em cm de altura para um determinado tempo.

Probabilidade

Probabilidades de precipitação (bem como outros parâmetros) são calculadas a partir de um conjunto de 20 ensaios de modelo. A probabilidade é a frequência com que a precipitação ocorre nestes 20 cálculos diferentes de previsão meteorológica. Este cálculo é feito geralmente para uma área (célula da grelha) de 50x50 km. Uma dada probabilidade é assim apresentada para uma área maior, enquanto que quantidades de precipitação são calculadas em maior resolução. Este processo pode levar a inconsistências: alguns locais podem ter uma certa quantidade de precipitação esperada, mesmo com baixa probabilidade ou, pelo contrário, existe previsão de precipitação, mesmo com uma elevada probabilidade da mesma. Mais detalhes são fornecidos em interpretação (em baixo).

A probabilidade de precipitação é independente da quantidade de precipitação prevista. Por exemplo, os chuviscos podem ter uma probabilidade muito elevada de precipitação e uma quantidade inferior a 1 milímetro por evento (por exemplo, uma tarde). Um temporal pode ocorrer no local da previsão com uma probabilidade muito baixa, mas deposita uma quantidade de precipitação de mais de 10 mm por evento, em caso de ocorrência.
A apresentação de precipitação na previsão depende da probabilidade; se um ícone da chuva é mostrado no Pictograma, a probabilidade de chuva é superior a 15%. Se nenhuma precipitação é mostrada em rainSPOT, a probabilidade de chuva é inferior a 85%.

Interpretação

A precisão das informações de precipitação depende muito do tipo de precipitação, topografia e do método de observação utilizado. Um único método não é suficiente para descrever perfeitamente as quantidades de precipitação dentro de uma área, porque a quantidade pode variar substancialmente dentro de algumas centenas de metros de distância. O método de medição da precipitação serve como uma indicação de desenvolvimentos e deve ser verificada através de métodos de referência locais apropriados.
Mais informação sobre a precipitação é apresentada na nossa página meteoScool nas secções de precipitação e tempestades.

Resolução em áreas montanhosas

Na Europa, a sobreposição do modelo de alta resolução de 3 dias de previsão com células de grelha 3x3km e 12x12km do modelo de 7 dias de previsão, pode induzir a um efeito de "sobrestimação" para a previsão de precipitação do dia 4 a 7. De fato, a previsão de precipitação nas montanhas será mais abundante a partir do 4º dia até ao 7° dia.

Este é um efeito especial do nosso domínio europeu de alta resolução: precipitação do dia 1 a 3 será calculada sobre uma grelha de 3x3 km. Em regiões montanhosas, a grelha permite uma distinção clara entre vales e montanhas para os primeiros três dias. Nos dias 4 a 7, no entanto, a previsão é calculada com células 12×12 km numa grelha; portanto, parte do vale vai mostrar precipitações, no entanto elas só estão previstas nas montanhas. Por esta razão, os locais nos vales indicarão precipitações desde o dia 4 ao 7, mesmo que nenhum seja previsto para os primeiros 3 dias. Até agora, nós ainda não encontrámos uma maneira "fácil" de eliminar este efeito. Previsões do dia 4 a 7, então, serão calculadas numa grelha em células de 12x12 km. Para fazer um cálculo da previsão a longo prazo num modelo de alta resolução (3x3 km), seria necessário um trabalho de cálculo extra; e diminuindo a quantidade de precipitações nos vales (mais povoadas) iria "artificialmente" reduzir as previsões de precipitação nas regiões montanhosas (menos povoadas, no entanto, mas importantes).

Decidimos, assim, não eliminar este efeito através de qualquer cálculo, mas sim fornecer uma interpretação através desta explicação.

Verificação

Previsões de precipitação e quantidade de precipitação real são parte das coisas mais importantes em meteorologia. A verificação a curto prazo mostra a diferença entre as previsões meteorológicas e o tempo real. No entanto, é muito difícil obter dados confiáveis. Previsões erradas seriam ainda piores do que nenhuma.
Pelas seguintes razões, não fizemos verificações de curto prazo para a precipitação até agora:

  1. A quantidade de precipitação é medida apenas numa pequena parte das estações meteorológicas.
  2. O método de medição difere fortemente: algumas estações medem de hora em hora (por exemplo, Meteoswiss), algumas a cada 3 horas, algumas duas vezes por dia (manhã e noite), algumas apenas uma vez por dia. Comparações horárias quase não são possíveis. Fazer uma quantidade uniforme diária a partir dos diferentes intervalos de tempo, também não funciona bem.
  3. Para obter medições credíveis para a precipitação é ainda mais difícil: em muitas estações ocorrem erros ocasionais. Conclusão: As medições sem verificação são piores que as previsões.
  4. Perdas são quase impossíveis de serem notadas por quantidades de precipitação: Zero pode significar nenhuma precipitação ou a falha da estação.
  5. Oferecemos nossos serviços em todo o mundo: medições confiáveis numa rede de estações (como, por exemplo, na Suíça ou na Alemanha) não nos permitem obter informações confiáveis sobre a quantidade de precipitação, e. na Itália ou na Áustria.

Portanto, uma verificação dos valores de precipitação requer uma rede de estação credível, uma certa cobertura de superfície e um controle de qualidade detalhado, que é demorado e, portanto, não atualizável automaticamente.

No entanto, temos este tema na lista e também introduziremos essas comparações mensalmente e anualmente. Como primeiro passo, este ano o nosso serviço history+ será complementado com dados de satélite, onde você pode fazer essas comparações de forma exaustiva e também fazer o download dos dados para comparações com seus próprios dados.